Profecias

Na carta transcrita abaixo e enviada ao Missionário Francisco Lembi, Raymundo Lopes descreve a origem do que se convencionou chamar na Obra Missionária de Profecias. São pequenos registros do que Raymundo ouviu de vozes desconhecidas.

“Prezado Francisco,

Francamente, não sei como começar.

Durante anos, de 1992 a 2001, comecei a escutar vozes, bem audíveis, que me falavam.

Eu escutava e ficava calado; não respondia e nem procurava escrever o que ouvia.

De repente, essas vozes cessaram. Não as escutei mais, desde 2001.

Graças a Deus pararam, porque isso estava me deixando sem rumo.

No meio daquele turbilhão de coisas que me aconteciam, que você sabe muito bem, fiquei perdido e não tinha coragem de falar com ninguém sobre essas vozes.

Muitas se perderam, mas a partir de certo momento tinha sempre comigo uma caneta, e no primeiro papel que me aparecia eu escrevia o que estava escutando.

Não procurava entender o que ouvia; apenas escutava e escrevia.

Fui guardando esses pedaços de papel num envelope, e ele ficava no cofre, o mesmo que permaneceu fechado, com a porta travada, por um bom tempo e que, inexplicavelmente, abriu na semana passada sem dificuldade.

Agora, ao abrir o cofre, a primeira coisa que aconteceu foi que esses papéis caíram, espalhando-se pelo chão. Nesse instante a voz retornou, dizendo:

‘Chegou o momento; tire tudo daí’.

Eu fiquei em pânico, porque não tenho vontade de voltar a escutar essa voz que falava comigo. Então resolvi retirar tudo dali e destruir os papéis.

Quando eu quis atear fogo nos papéis, aconteceu do fogo não pegar neles de forma alguma.

Aí escutei de novo a voz:

‘Não coloque fogo nestes papéis; dê curso à história’.

Eu então resolvi responder:

‘Que história? Quem é você?’

E a voz me disse:

‘Não destrua isso agora. Reúna-os no que vocês chamam de computador; depois, eu mesmo destruirei esses papéis’.

Então, reuni tudo no computador. Depois disso, os papéis sumiram na minha mesa e não os achei mais. Perguntei a todos em casa, mas ninguém sabia do envelope pardo.

Estou lhe passando o que havia escrito naqueles papéis.

Não sou profeta e espero que isso não se configure como profecia. Apenas escutei e escrevi.”

Leia abaixo todas as Profecias:

  • jan1992

    Ano de 1992 Durante as últimas contestações à autoridade do Sumo Pontífice, ocupará o trono pontifício também seu último representante, que pelo seu cargo deveria pastorear as ovelhas de Cristo, padecendo por Seu nome. Mas isto não será feito; o Anticristo será conhecido; então o Vaticano será destruído e o...