A força do amor

Ao fixarem as estrelas, vocês depararão com a sensação do estável, o que os forçará a descer ao fundo de vocês mesmos, onde encontrarão também qualquer coisa à procura dessa estabilidade. Descobrirão, desta forma, que a alma não quer ser assim, instável; ela quer ser melhor, evoluir, e este desejo é perene como o céu.

13 de dezembro de 1994

Versão áudio

Filhos amados,

Desejo, com minhas visitas, levá-los também a fazer uma comparação entre as estrelas do céu e o coração de vocês. Ele poderá ser batido pelas dores e desilusões, vergado em todos os sentidos, mas as estrelas do céu, aos olhos de vocês, parecerão imutáveis. Então, ao fixarem as estrelas, vocês depararão com a sensação do estável, o que os forçará a descer ao fundo de vocês mesmos, onde encontrarão também qualquer coisa à procura dessa estabilidade. Descobrirão, desta forma, que a alma não quer ser assim, instável; ela quer ser melhor, evoluir, e este desejo é perene como o céu. Este desejo brilha na alma como a luz das estrelas.

Meus filhos, como fazer para incutir na mente de vocês o desejo de reconhecer Deus como uma presença constante e imutável em suas vidas? Como fazer para mostrar a vocês como é maravilhoso este desejo de ser perene em nosso amor para com Deus, como as estrelas do céu? Existe somente uma resposta para estas perguntas: a força do amor. Por isso, amo e levo todo o meu amor a vocês.

Obrigada por terem atendido ao meu chamado.

Referência: LOPES, Raymundo. A força do amor. In: LEMBI, Francisco (Org.). Uma voz que fala aos meus ouvidos. 3 ed. Belo Horizonte: Magnificat, 2015. p. 141.

Os comentários estão fechados.